Varejo pet acelera a utilização de ferramentas digitais para comunicação com clientes

Comentários (0) Destaque Home, Pets, Varejista, Vendas

Pesquisa Radar Pet 2021 realizada pela Comac/Sindan revela aumento de 59% no contato entre tutor e médico por meio das redes sociais

São Paulo, novembro de 2021 – Um dos grandes marcos da pandemia de Covid-19 certamente foi a aceleração da transição do mundo “offline” para o ambiente digital. As compras online viraram uma tendência e a utilização das redes sociais teve um crescimento enorme, impactando em diversas relações, inclusive entre tutores e veterinários.

De acordo com a pesquisa Radar Pet 2021, realizada pela Comac (Comissão dos Animais de Companhia do Sindan), houve um aumento de 59% no contato entre tutor e médico-veterinário por meio das redes sociais, sendo que 90% dos veterinários entrevistados afirmaram utilizar aplicativos como WhatsApp, Instagram e Facebook para se comunicar com os clientes e 71% afirmou usar as redes para divulgar seu trabalho por meio de postagens.

“Pelos resultados, percebe-se que ter um perfil nas redes sociais, marcar presença nesses espaços, se tornou algo essencial. Atualmente, se o médico-veterinário e o varejista não estão presentes no mundo digital, seja nas redes sociais ou plataformas de e-commerce, eles simplesmente não existem para muitos públicos. As redes sociais se tornaram uma forma de aumentar a base de clientes, propagar informações corretas, se comunicar com os tutores, divulgar seu trabalho e se destacar nesse meio, por isso a importância de não apenas estar presente, mas ser relevante nas plataformas digitais”, disse Leonardo Brandão, coordenador da Comac.

Já quando analisamos as compras e vendas online, a pesquisa mostra que 74% dos tutores de pets afirmaram fazer mais compras pela internet durante o período de pandemia e que 90% destes acreditam que o hábito irá continuar mesmo após a pandemia.

Outro ponto revelado pela pesquisa da Comac é de que pelo menos um terço dos tutores comprou alguma medicação veterinária por e-commerce na pandemia. Para a maioria deles, 2020 foi o ano da primeira compra desse gênero de produtos via online. A avaliação dessa modalidade de compra foi muito positiva. Entre os que ainda não adquiriram medicamentos online, aproximadamente metade se declara disposta a comprar.

“No varejo pet brasileiro, a venda online tinha uma representatividade baixa antes da pandemia. Cerca de 3% a 5% do consumo era realizado por esse canal. Durante os meses críticos de isolamento social, houve uma aceleração muito grande das vendas através dos meios digitais. Depois dessa experiência inicial, a maioria dos tutores deve manter o uso dos e-commerces para adquirir produtos para seus animais”, esclarece Leonardo. Confira outras tendências sobre o mercado pet na pesquisa Radar Pet 2021.

Sobre a Comac
A COMAC (Comissão de Animais de Companhia) foi criada em 2007. É parte integrante do Sindan, Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal e trata dos interesses de um dos mais importantes e crescentes segmentos da indústria veterinária brasileira e mundial, o mercado de cães e gatos.
A instituição surgiu com a necessidade de cuidar do mercado de animais de companhia e, por meio da interação com os principais players desse mercado, a COMAC executa ações que estimulam o desenvolvimento do mercado pet brasileiro, principalmente das áreas ligadas à saúde animal.

Foto de Nataliya Vaitkevich no Pexels

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pin It on Pinterest

Share This