Vamos Virar o Jogo: movimento traz otimismo para PMEs

Comentários (0) Atitude PME, Giro PME

Iniciativa faz a diferença para que empresas consigam passar melhor pela crise provocada pela pandemia do novo coronavírus
_

A convicção de que não adianta ficar refém das circunstâncias, especular sobre as incertezas ou optar pelo muro das lamentações e procurar bodes expiatórios foi o que levou o presidente do Grupo Empreenda, César Souza, a criar o Movimento #VamosVirarOjogo. A iniciativa oferece um direcionamento aos empresários brasileiros, nesse momento de Pandemia, mostrando como as empresas, de todos os portes e segmentos, estão inovando e se reinventando, aprimorando seus negócios para vencer as adversidades do momento e construir soluções para as novas oportunidades que a crise também está trazendo.

No final de abril, após um mês de isolamento social por conta da quarentena e ver muitos líderes perdidos e inseguros, vivendo uma fase indesejada e inesperada, César Souza disse a vários clientes para capricharem e se prepararem para desfrutar das oportunidades quando os novos ventos começassem a soprar. “Nessa época li uma frase do Vittorio Danesi, fundador e presidente da Simpress afirmar em um grupo de investidores no WhatsApp: ‘Há vida pós-Covid!’. Essa frase ficou martelando na minha cabeça, uns dias depois conversei com Cris Patsch e Milton Camargo, meus sócios na Empreenda e em seguida liguei para o Alexandro Barsi, fundador do Verity Group que foi fundamental no encorajamento e no desdobramento da intenção. Poucas horas depois estávamos estruturando o #VamosVirarOJogo. Consultamos também o Tiago Alves, da Regus que deu a maior força a ideia”.

César Souza, presidente do Grupo Empreenda.

A partir daí, definiram como propósito do movimento o de compartilhar as “Melhores Práticas” e ideias para lidar com a pandemia, e de começar a construir o futuro em termos de novos modelos de negócios, inovações nas relações com clientes, na gestão de pessoas, na relação com a comunidade, na criação de empregos, na busca de soluções inovadoras em serviços e produtos.

Entre os apoiadores do projeto estão empresas como a BASF, Grupo Laureate, Carrefour, Magalu, PwC, 3M, Connvert, Experience Club, Associação Brasileira de Operadores Logísticos (ABOL) Audi, Solví Ambiental, Simpress, CMPC, Dasa, Grupo Sabin, HP, JS Peças, Prevent Senior, Regus, VW Ônibus e Caminhões, e várias associações e entidades. “Mais recentemente outras grandes empresas como a DHL, a Cisco, a Gerdau, a HP e a Mercer, passaram a fazer parte contribuindo significativamente com o movimento”, mostra Souza.

De acordo com o presidente da PwC Brasil, Fernando Alves o momento é de união. “Superar o cenário imposto pela Covid-19 a toda a sociedade depende, mais do que nunca, das ações coletivas e colaborativas. Nesse sentido, existe um grande conjunto de empresas engajadas na construção de soluções e o País como um todo ganha com esse movimento. Juntos venceremos a pandemia e continuaremos trabalhando por um Brasil melhor”.

Fernando Alves, presidente da PwC Brasil.

O CEO da Laureate, Marcelo Cardoso concordo e completa que o mundo jamais será o mesmo, a partir da transformação em nossa perspectiva provocada pelo vírus. “Consequentemente, as fórmulas que tínhamos até então não são mais suficientes para seguir evoluindo como desejamos. Desta forma, estamos reunindo novos olhares e projetos para abrir horizontes até então inimagináveis. Tenho certeza que juntos vamos virar o jogo”.

Marcelo Cardoso, CEO da Laureate.

Para quem quer participar da iniciativa, basta entrar no vamosvirarojogo.org e se inscrever. Qualquer empresa que não seja fake e seja ética pode aderir, independentemente do tamanho e do setor de atividades. Não é necessário investimento financeiro. E o tempo de permanência é voluntário. Eles apenas solicitam aos participantes relatarem seus cases de melhores práticas, mas não é obrigatório.

Até o momento, já participam mais de 700 empresas e foram apresentados mais de 120 cases. Aconteceu no início de junho a 1ª rodada com 5 cases de destaques: PwC, BASF, Solvi, Zeiss e Cuco Health (uma startup criada por uma jovem paulistana)”. No dia 30 de junho aconteceu a 2ª rodada e no dia 14 de julho será realizada a terceira.

O empresário César Souza afirma que esse movimento não é sinônimo de pandemia, mas um antídoto contra qualquer tipo de crise. “Virar o jogo é um grito de guerra. É um despertar contra a dificuldade, os obstáculos no caminho e a depressão psicológica. Acreditar no futuro e lutar para realizar os sonhos é o melhor remédio que conheço para lidar com as dificuldades. O movimento #VamosVirarOjogo quer ajudar as pessoas, empresas e comunidades a construírem o seu Passaporte para o Futuro”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pin It on Pinterest

Share This