“Se soubesse da pandemia seis meses antes, eu…” #3

Comentários (0) Atitude PME, Destaque Home, Inspiração

A terceira parte da série de publicações semanais contendo depoimentos exclusivos de empresários brasileiros segue fazendo revelações importantes e apontando grandes lições de gestão e estratrégia. Confira abaixo o que esses executivos teriam feito caso tivessem algum tempo para preparar seus negócios para enfrentar melhor a atual crise do Coronavírus.

Nós perguntamos:

Se você pudesse prever – com seis meses de antecedência – e preparar seu negócio para a explosão da atual pandemia, que arrebatou a sociedade e estancou a economia global em todos os níveis de atividade… O que você faria?

Eles responderam:


Se soubesse com antecipação dos efeitos que a pandemia causaria, a única ação que adotaria seria planejar uma adoção mais organizada para a ida do time o home office, podendo fazer alguns testes de formatos diferentes. Ter esse tempo também facilitaria na questão de avaliar os possíveis cenários com mais tranquilidade e trabalhar gradativamente as ações de combate e contenção. É um período de muito aprendizado e desenvolvimento, dia após dia aprendemos mais como lidar com o momento e crescemos com isso. Saber da crise antes talvez não nos permitiria ter todo esse desenvolvimento (de certa forma forçado). No lado pessoal, trabalharia em ações de conscientização para que a sua passagem não fosse tão duradoura e impactante

Fernando Salla, CEO da Effecti, startup de tecnologia especializada em automação para participantes de licitações

A Effecti é uma empresa que nasceu com o propósito de simplificar processos para melhorar a vida das pessoas. Trabalhamos duro diariamente para desenvolver as melhores ferramentas e entregar aos licitantes a melhor experiência possível no árduo processo licitatório. Estamos presentes no dia-a-dia de mais de 1100 empresas localizadas em todos os estados do Brasil.

“Teria preparado melhor as nossas lojas maiores, valorizando a importância do delivery, que hoje se tornou um dos canais mais importantes para manter o fluxo de caixa. Também teria segurado um pouco a questão das locações de novos pontos comerciais que estão em nosso plano de expansão, porque hoje estão com condições de preços mais baixo, assim como, antecipado a tomada de crédito bancário que não precisávamos a seis meses atrás, para investir na expansão nesse momento de crise. E por fim, teria aprimorado nossa gestão, valorizando e aprendido um pouco mais sobre o trabalho home office”

Gabriel Concon, sócio-diretor da rede de franquias Pizza Prime

Com 18 anos de mercado e quase 50 unidades, sendo 29 delas próprias e algumas em fase de implementação, a rede de pizzarias Pizza Prime leva qualidade e sabor à casa dos clientes. Se associou à ABF em 2019 e pretende crescer de forma organizada pelo País. 

“Se eu soubesse da pandemia seis meses antes, certamente teríamos retirado o mínimo possível de nossa lucratividade nas unidades que mais sentiram queda no faturamento, para termos mais fôlego financeiro nesse momento de instabilidade. Também, possivelmente, se não tivéssemos outro recurso, e a fim de manter todo o quadro de funcionários e fornecedores (que sempre tem que ser a prioridade das empresas),  poderíamos ter cortado despesas fixas não essenciais para inflar o caixa da nossa empresa em compensação ao baixo crédito que os bancos estão disponibilizando ao mercado”

Rodrigo Arjonas e Luciano Oberle, sócios da rede BUSGER

O Busger nasceu em 2015 pela iniciativa de dois empreendedores que viram que havia espaço para evoluir no conceito de alimentação de rua. Eles elevaram o nível e criaram uma verdadeira hamburgueria itinerante sobre rodas, que além de oferecer burgers deliciosos, se destaca no cenário gastronômico pela composição de cardápio. Tudo isso com a cozinha à bordo de ônibus antigos, cheios de história e charme, em um ambiente que proporciona uma experiência nova, moderna e ao mesmo tempo divertida – salão com mesas e cadeiras em espaço coberto, com ombrelones e aquecedores para os dias frios e o autêntico rock dos anos 1950 e 1960.

“Se soubéssemos da pandemia 6 meses antes, teríamos dado mais ênfase e priorizado um processo organizado de captação de recursos financeiros, antecipando um movimento que já estava previsto pela companhia. Startups em geral têm mais dificuldade de captar recursos em uma situação como esta por conta dos ativos intangíveis que não servem de garantia para empréstimos na forma tradicional. Felizmente, já temos no Brasil instituições focadas neste segmento mas ainda há pouca disponibilidade além do processo ser normalmente demorado. Certamente há outras iniciativas operacionais que teríamos antecipado, como o lançamento do nosso módulo de telemedicina, ou mudanças que seriam feitas antes da pandemia chegar ao nosso continente mas nestes momentos de incertezas, seja pelo tempo de duração ou a magnitude do impacto da crise, é fundamental garantir recursos para sobreviver o ‘vale’. Felizmente estamos conseguindo vencer as dificuldades por enquanto, sempre mantendo a unidade da equipe e um propósito em comum”

Adriano Fontana, Fundador e CEO do BoaConsulta

O boaconsulta.com é uma nova maneira de agendar consultas. A plataforma oferece acesso direto à agenda de Dentistas, Médicos e outros profissionais de saúde, e marca consultas em apenas alguns cliques, a qualquer horário e sem a necessidade de interação humana.

“Nossa rotina, antes da pandemia, consistia em fazer um grande aproveitamento do escritório, realizando reuniões quase diárias com clientes, prospects, fornecedores, etc. A equipe sempre esteve ativa presencialmente em busca de novas oportunidades. Portanto, se soubesse da crise 6 meses antes, eu teria acelerado os investimentos na digitalização dessa operação e na estrutura de home office do meu escritório. Em relação aos meus clientes, sabendo desse novo cenário que estaria por vir, poderíamos ter ampliado o foco na liquidez tanto para atravessar crise com mais fôlego, quanto para aproveitar as oportunidades de mercado que provavelmente surgiriam (e surgiram) com a crise, especialmente ações e fundos imobiliários”

Luciana Ikedo, CEO do escritório Ikedo Investimentos

O escritório Ikedo Investimentos oferece aos clientes um novo olhar para cuidar de forma ativa de investimentos. A vocação do escritório é auxiliar os clientes não só a investirem melhor, mas também a enxergarem novas e mais rentáveis possibilidades. A confiabilidade e a competência dos profissionais que atuam no escritório é reconhecida no mercado, já que possuem sólida experiência adquirida enquanto executivos de bancos comerciais e de investimentos.

Confira mais depoimentos acessando:

Parte 1Depoimentos : : Parte 2Depoimentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pin It on Pinterest

Share This