Sangue, Suor e Boletos: evento sobre rotinas de gestão em alimentação

Comentários (0) Eventos, Giro PME

Empresária, Re Cruz, fundadora da Foodness – plataforma de gestão de negócios de alimentação –, inicia a “Semana Sangue, Suor e Boletos” com 3 encontros via Youtube

Parte fundamental de uma gestão bem aplicada é a organização. Parece simples, mas inserir uma rotina que faça o negócio prosperar é assunto que deixa muitos donos de empreendimentos do ramo da alimentação sem saber por onde começar. A empresária, Re Cruz, idealizadora do Foodness, plataforma de gestão para negócios de alimentação, lança o evento online ‘Semana Sangue, Suor e Boletos’ com encontros entre 29/7 a 2/8, onde compartilhará sua experiencia com dicas práticas e pontos importantes a serem levantados para criar uma rotina eficiente de gestão. 

Re Cruz abordará,  nos 3 encontros, a importância do autoconhecimento para uma rotina de gestão, mapeando habilidades e como o equilíbrio é parte essencial de uma boa liderança com um passo a passo para organizar a vida e terminar tarefas em uma guia prático auxiliando uma produtividade maior para o negócio. As inscrições para o evento, que ocorrerá no Youtube do Foodness, devem ser realizadas através do link: https://semana.somosfoodness.com.br/

  • DIA 29/07, às 16h30 – Freud, corre aqui!
  • DIA 31/07, às 16h30 – Anota ai!
  • DIA 02/08, às 16h30 – Ajuda, Luziano!

 (Foto: André Ligeiro/divulgação)

Trajetória de Re Cruz

As memórias da infância em torno da mesa, atrelado ao interesse pela administração dos negócios, deram à chef e empresária Rê Cruz os ingredientes necessários à carreira. Entre vitórias e percalços, a jovem empreendedora constatou: “Gastronomia é muito mais do que glamour. É sobre sangue, suor e boletos”. A frase virou um mantra para todos os passos que ela dá ao longo de 16 anos dedicados a essa paixão – seja como chef, empresária, professora ou consultora de restaurantes e buffets. Hoje, Rê Cruz se orgulha de poder compartilhar com outras pessoas os altos e baixos de gerir um negócio na área da gastronomia. Poder entregar ferramentas que ajudem as pessoas a entenderem e cuidarem do próprio negócio.

Liderança, determinação e uma certa ousadia são características do seu trabalho, heranças da tia avó materna. “Cresci com essa mulher à minha volta. Uma mulher que se separou nos anos 1940, que veio morar na capital paulista sozinha, que trabalhou muito e teve a vida do jeito que queria. Ela sempre foi matriarca da família mesmo sem ter filhos, ela me deu metade de todo amor e de coragem que tenho em mim.”, conta. Tal admiração encorajou Rê Cruz, com apenas 14 anos, a correr atrás do próprio dinheiro. A partir dessa idade, ela começou a trabalhar com recreação infantil em hotéis no interior de São Paulo. E aos 16, passou a assumir contratos e pagamentos.

Quando ainda cursava a faculdade de Hotelaria do Senac, com 19 anos, abriu sua primeira. Um restaurante dentro da escola onde estudou. Nessa empresa servia almoço e lanches para mais de 700 alunos. Abriu uma filial, dessa vez dentro da Faculdade Santa Marcelina. Em 2007, enquanto trabalhava num evento, foi surpreendida pelo convite do chef francês Philippe Gobet, diretor da École Lenôtre em Paris – primeira escola de gastronomia da França –, para fazer uma especialização em Pâtisserie.

De volta ao Brasil, ela deu início a outro capítulo da carreira ao inaugurar o Amici, restaurante e buffet de eventos, em 2009. “Foi um negócio de muito sucesso por um lado. Atendemos muita gente, fizemos enormes eventos, como o camarim da Beyoncé, SPFW e o Summit do Facebbok para mais de 3 mil pessoas durante 3 dias. Também assinei o cardápio da TAM. Fiz muita coisa incrível, mas não havia lucro porque os custos operacionais eram pesados e faltava administração. Foram 10 anos enxugando gelo”, lembra. Um período conturbado que culminou numa dissolução societária, parcelamento de dívidas e um burnout em 2017. 

Pelo caminho mais difícil, Rê Cruz percebeu que precisava estar à frente da gestão da empresa para compreender o que deu errado. “Fui atrás de informação e percebi que havia um déficit de conteúdo nessa área porque eu lia uma teoria e dificilmente se aplicava a prática. Liguei para amigos e aprendi com eles já que os problemas eram muito parecidos”. Além disso, passou por um coach que foi decisivo para resgatar em si o desejo de compartilhar conhecimento dando aulas e consultorias, e despertar a vontade de criar um projeto no ambiente digital. Nascia aí um esboço do Foodness.

Em 2017, inaugurou o e-commerce de comida pronta para compartilhar, o Rê Cruz To Go, e passou a se dedicar a consultorias para bares, restaurantes e cafés. “Aí, em 2018, mudei para uma casa menor e decidi continuar com o Rê Cruz To Go, que era um filho do Amici. A redução me deu mais qualidade de vida. Entendi que devia produzir para vender, e não vender para produzir”, destaca.

Ainda em busca de uma nova forma de empreender no mercado, e pensando numa maneira de ajudar outras pessoas a superar as inúmeras dificuldades que ela enfrentou, Rê Cruz tirou do papel o Foodness. Criada oficialmente em 2019, esta plataforma colaborativa de gestão para negócios de gastronomia tem sob seu guarda-chuva consultorias, cursos, podcasts e outras ações em redes sociais como a Live Fala que eu te escuto, todos os domingos, às 20h, no @SomosFoodeness. “Meu propósito é ajudar as pessoas a não passarem pelo que passei, é levar informações. Se eu não tivesse feito tudo o que fiz, não teria bagagem para ajudar tanta gente como faço agora.”
_

Com informações de Cris Matos, Bossa Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pin It on Pinterest

Share This