Quarentena: é possível ajudar o próximo, sem deixar de vender

Comentários desativados em Quarentena: é possível ajudar o próximo, sem deixar de vender Gestão

O empresário brasileiro Richard Harary, CEO da MacroBaby, maior loja de enxovais dos Estados Unidos.

MacroBaby, maior loja de enxovais dos Estados Unidos, aposta no social e em maneiras de ajudar as famílias em crise financeira durante a quarentena

Em tempos de crise, devido à pandemia do covid-19, muitos postos de trabalho foram fechados no mundo todo. Somente nos últimos 10 dias, mais de 10 milhões de trabalhadores nos Estados Unidos perderam seus empregos e o país projeta enfrentar este ano perto de uma recessão econômica, o que obrigou o presidente Donald Trump a anunciar emergencialmente a liberação de 2 trilhões de dólares para tentar atenuar os efeitos da crise.

Com a quarentena e a perda de postos de trabalho, muitas famílias estão sendo afetadas e vendo seus rendimentos caírem vertiginosamente, apesar dos apoios prometidos pelo governo e a segurança social norte-americana. A situação se repete em todo o mundo, inclusive no Brasil.

Face a este cenário adverso, o empresário brasileiro Richard Harary (foto), CEO da MacroBaby, maior loja de enxovais dos Estados Unidos, tem se posicionado diante da crise econômica e humanitária adotando uma postura que privilegia a vida acima dos lucros: “agora não é hora de pensar somente nos lucros, mas de pensar nas pessoas em primeiro lugar. Estamos envolvidos em causas sociais e humanitárias e, como empresa, estamos dispondo de todas as ferramentas possíveis, investindo mais do que nunca no e-commerce, nas compras pela internet e na entrega em domicílio, para ajudar famílias a terem acesso mais facilitado a materiais de primeira necessidade, facilitando a vida daqueles que precisam comprar fraldas, berços, roupas e afins para seus filhos pequenos.” 

Ações sociais

Richard Harary tem se envolvido em diversas ações sociais em Orlando, cidade onde reside e está a sede da MacroBaby, colaborando com instituições como o Make-a-Wish Brasil e a própria MacroBaby Foundation, que ajudam centenas de crianças mais carentes e suas famílias.

Coronavírus e produtos de necessidade

Itens como fraldas e produtos de bebê se enquadram em artigos de primeira necessidade. Por isso, a MacroBaby obteve permissão de funcionamento e está de portas abertas, funcionando em horário reduzido e tomando todos os cuidados necessários e exigidos pelas autoridades para evitar o contágio com o covid-19. 

Parcelamento sem juros e preços diferenciados

A solução encontrada por Richard Harary foi oferecer todos os produtos vendidos na MacroBaby com parcelamento sem juros, inclusive nas vendas online, como forma de reduzir o peso no orçamento das famílias afetadas pela crise: “Estamos trabalhando com ofertas e preços especiais nos principais produtos, com enfoque nas necessidades das famílias. Além disso, agora também oferecemos parcelamento sem juros em até 6 vezes para todos os artigos. As entregas para todo o território americano passaram a ser gratuitas para compras a partir de $39,99. Para os demais países, assim como o Brasil, é possível o envio com valores de frete variáveis, que dependem do peso e volume da compra”.

Preços bem mais baixos que os praticados no Brasil e a qualidade dos produtos encontrados no exterior tem atraído a muitos brasileiros, que procuram a MacroBaby para comprar o enxoval do bebê: “Para atender especialmente aos clientes brasileiros, o parcelamento em até 6x pode ser feito no nosso site usando cartão de crédito brasileiro normal, sem a necessidade de ter um cartão internacional.”

Quanto se gasta com um bebê por mês?

Uma pesquisa realizada pela Women’s Association aponta que, além dos gastos com creches e afins, que podem beirar até os 650 dólares mensais nos Estados Unidos, os custos de um bebê mensalmente podem ultrapassar os 350 dólares mensais (1750 reais), o que hoje representa um grande impacto no orçamento familiar com a crise financeira. 

Para contabilizar quanto se gasta por mês, desde o início, é preciso ter em conta não apenas a quantidade de fraldas usadas pela criança (em média, 8 a 10 fraldas por dia e até 300 fraldas por mês) que representa um dos principais gastos, mas todos os itens que foram comprados antes do nascimento da criança, como berço, roupas, acessórios e gastos com adequação e remodelação de espaços. O valor é variável mas também pode atingir a casa dos milhares de dólares.

Com informações de Hebert Neri, MF Press Global.

Área de comentários fechada.

Pin It on Pinterest

Share This