Pés sob cuidados especiais

Comentários (0) Entrevista

Entrevista - Doctor Feet - Jonas Bechelli

Rede de franquias paulistana especializada em Podologia chega aos 20 anos de operação com unidades em mais da metade dos estados brasileiros. O fundador da marca acredita que marcação cerrada nas franquias e busca pela perfeição no atendimento são base para a consolidação da rede

O endereço escolhido para a primeira unidade, ainda em 1998, foi uma região sem estrutura na época: a Zona Leste de São Paulo. A empresa de cuidados para os pés era inovadora, ainda mais para um público que não apostava muito em qualidade de vida. Foi questão de tempo para que a operação se consolidasse.

O fundador da marca,Jonas Bechelli, não economizou sola de sapato para divulgar a empresa nos arredores do shopping. Foi falando com clientes e convidando-os para fazer uma avaliação que a Doctor Feet foi ganhando espaço. Quatro anos mais tarde, surgiu a ideia de expandir por meio de franquias. Um cliente percebeu que poderia ganhar dinheiro apostando no mercado de podologia, que era bastante promissor.

Hoje são mais de 70 lojas em operação, em 14 estados brasileiros. O modelo de negócio é a loja tradicional, com quatro cabines, e a média de 12 a 13 profissionais, entre podólogos, manicures, atendentes e gerentes. Todos os profissionais são treinados para se adequar ao “padrão Doctor Feet”. A padronização é um elemento essencial para a franquia. 

Apesar da grande quantidade de unidades, Bechelli diz que ainda está longe da meta que pretende atingir: 200 unidades em operação. Como parte da estratégia, até 2020, a ideia é abrir mais 40 unidades no País. Os franqueados que acreditarem na operação terão à disposição uma marca que oferece serviços variados que vão desde remoção de calos e calosidades a procedimentos como argiloterapia.

Em uma entrevista especial, o presidente da rede fala sobre a origem da Doctor Feet e reforça de que forma os erros iniciais serviram de lição para o crescimento do negócio. Apesar de ter sido fundada em um período de economia incerta e completar 20 anos em meio a uma crise econômica, Jonas Bechelli é otimista com o futuro e garante que a crise não afetou a rede. Acompanhe!

Gestão & Negócios: Como foi o processo de crescimento da marca?

Jonas Bechelli: A Doctor Feet nasceu no Shopping Aricanduva em 1998, depois de um desentendimento profissional familiar, em que eu e o meu pai atuávamos juntos, em um negócio próprio. Tive que me virar sozinho. O processo de crescimento se deu após eu acertar todos os detalhes da primeira loja, logo no primeiro ano e meio; aí, com algum dinheiro em caixa, entendemos que era hora de abrir a segunda, estruturá-la para, na sequência, abrir a terceira, estruturá-la para abrir a quarta. E assim foi.

O cenário econômico na época em que a marca foi fundada não era dos melhores, assim como o atual. Qual das duas crises foi mais marcante para a empresa?

A Doctor Feet não vivenciou a crise, já que os clientes não deixaram de desencravar as unhas, remover os calos ou cuidar dos pés. Pelo contrário, a demanda por cuidados pessoais cresceu, porém, com uma diferença: agora, esse maior número de pessoas que usam o nosso serviço espaçou seu uso. Eu diria, portanto, que elas estão mais cautelosas para gastar o dinheiro.


As incertezas com o futuro econômico do País, de alguma forma, atrasam ou atrapalham os planos de expansão?

Atrapalham sim, afinal, é natural que o mercado de franquias também sinta a retração, principalmente quando o juro está mais alto. Agora, com o juro baixo, não sobra outra alternativa ao desempregado ou ao investidor olhar para os negócios, de forma a aferir maior rendimento e proteção ao seu dinheiro. Para nós, franqueadores, é muito animador, pois aumenta sensivelmente a demanda de interessados e a Doctor Feet, por ser um serviço quase essencial, tem surfado na onda da retomada do crescimento antes mesmo que os demais negócios.

Serviços ligados a saúde, bem-estar e qualidade de vida podem ser encarados por muitos como supérfluos. Como a empresa faz para se destacar em algo que não é de primeira necessidade?

Engano de quem acha que cuidar dos pés é supérfluo. A pergunta que nos ronda, quanto a isso, é: “você já teve uma unha encravada para saber a dor? Já teve uma calosidade que incomodava muito?”. Pois é, com essas respostas, sabemos que cuidar dos pés é uma necessidade da maioria das pessoas, um incômodo que atrapalha o bem-estar e o dia a dia de qualquer pessoa. A Doctor Feet construiu uma história e hoje é líder no segmento e a mais lembrada e recomendada, segundo pesquisa recentemente realizada por idônea consultoria.

O mercado no qual a rede atua concorre diretamente com salões de beleza que oferecem serviços de podologia. Qual a estratégia para se diferenciar?

Alguns salões de beleza têm sim o serviço de podologia, porém jamais terão a estrutura de uma empresa especializada no assunto como nós, que estamos constantemente nos atualizando para levar o que há de mais moderno no Brasil e no mundo para nossas lojas na área de saúde dos pés. Comparo e digo que é igual a você ter um problema de pele e ir a um clínico geral e não em um dermatologista. O clínico geral não terá a mesma competência técnica que o especialista.

Em uma época de consumidores cada vez mais exigentes, de que forma conseguir a fidelização deles?

Conseguimos a fidelização de nossos clientes através da tecnologia que nos ajuda via SMS, WhatsApp e e-mail a relembrá-los, por exemplo, que já faz x dias que fizeram o tratamento e, portanto, é hora de retomar. Se retornar antes de 30 dias, terá um desconto especial. Além de, lógico, oferecer um serviço impecável, que inclui desde os nossos profissionais até os kits exclusivos para o tratamento dos pés.

Quantos produtos e serviços estão disponíveis hoje? Quais os principais?

Serviços são nosso carro-chefe. Hoje oferecemos 44 serviços, sendo que o maior em volume é o “tratamento tradicional completo”, que remove unhas encravadas não infeccionadas e calos. Já os produtos, temos hoje homologados mais de 1.500, sendo que, nas lojas, oferecemos, em média, 500. Os mais vendidos são cremes, corretores de postura, talas para tendinite e bengalas.

Quais modelos de negócio a empresa opera?

A Doctor Feet opera através de franquias, por meio de lojas padrão, em shopping ou nas ruas. Operamos com duas ou quatro cabines de podologia, com custos iniciais distintos: R$232 mil e R$355 mil, respectivamente. Recentemente inauguramos uma loja conceito no Rio de Janeiro, com oito cabines e 118 metros quadrados.

A relação com franqueados, muitas vezes, é delicada. Exigir o padrão de atendimento, ainda mais no segmento que envolve saúde e bem-estar, é fundamental. De que forma a franqueadora acompanha o desenvolvimento dos franqueados?

A relação com franqueado passa a ser complicada quando ele “acha” que pode caminhar sozinho, não precisa mais de você e “acredita” que paga caro pelo uso da sua marca. Uma inverdade, já que na maioria dos casos a loja não sobrevive sem um nome mais forte. Nós, da Doctor Feet, visitamos as lojas a cada 90 dias e fazemos um check list completo, que envolve até detalhes da instalação física e dos profissionais. E monitoramos, também, a nota que nossos clientes dão aos atendimentos; abaixo de 4, sendo a nota máxima 5, vamos imediatamente à loja conferir o que está acontecendo e como podemos atuar de forma a sanar aqueles problemas.

O crescimento dos franqueados é essencial para uma rede forte e consolidada. Qual o perfil dos atuais franqueados e de que forma entendem que a união é que faz o desenvolvimento coletivo?

Costumo dizer que a relação com qualquer pessoa, seja de amizade, afetivo ou profissional, já passa por conflitos; imagina, agora, uma relação com um número expressivo de pessoas? Na Doctor Feet somos em 60 pessoas, sendo alguns multifranqueados, com até três unidades. Há aqueles que não vão bem exclusivamente por não se dedicar e, apoiado com a velocidade de disseminação das informações pelos grupos de WhatsApp, acabam inflamando os demais, disseminando rapidamente desafetos ou não concordância em segundos. É praticamente impossível manter 100% da harmonia em qualquer rede. Os franqueados atuais da Doctor Feet são advogados, profissionais liberais e ex-executivos do mercado, sendo estes muito mais fáceis de lidar, pois vem doutrinado a seguir regras e entendem como elas funcionam. São eles, geralmente, os mais bem-sucedidos no modelo de franquias.

A marca começou pequena, com uma unidade tímida na capital. Quais erros cometidos no começo da operação auxiliaram para que o crescimento fosse mais sustentável?

O principal erro da marca foi a comunicação com o cliente, que é essencial para o sucesso de qualquer negócio. Mas como eu era barriga no balcão, percebi nas primeiras semanas e quase imediatamente mudei para uma linguagem mais popular, convidando as pessoas que passavam em frente à loja para fazer uma avaliação gratuita. Foi questão de pouco tempo para estourarmos.

A empresa tem alguma ação de faturamento recorrente, como pacotes de serviços ou assinatura de produtos para os pés?

A Doctor Feet tem planos para 2019 de criar a assinatura de cuidado com os pés, além de já estudar tratamento diferenciado para as mãos também.

Em qual cenário a empresa se enxerga em 2019?

Em 2019, nos enxergamos em retomada acelerada de crescimento, pois acreditamos no Brasil e no novo presidente eleito, que, com certeza, já está se cercando dos melhores profissionais do mercado para voltar a gerar desenvolvimento ao nosso amado País.

Em qual momento você parou e concluiu: somos grandes?

Ainda não parei para concluir que somos grandes, pois somos pequenos para o tamanho que sonhei e desejo chegar a mais de 200 lojas. Aí sim estarei próximo do meu sonho.

Quais lições os pequenos empreendedores podem tirar ao conhecer a história da Doctor Feet?

Comunicação e um bom ponto comercial são tudo! Se você presta serviços, busque os profissionais mais capacitados para estar com você, de forma que possa aprender com eles também, sem deixar, obviamente, de seguir sua intuição e bom senso.


Entrevista - Doctor Feet - Jonas Bechelli

Entrelinhas_01

“Alguns salões de beleza têm sim o serviço de podologia, porém jamais terão a estrutura de uma empresa especializada no assunto como nós […]”

“A relação com franqueado passa a ser complicada quando ele ‘acha’ que pode caminhar sozinho, não precisa mais de você e ‘acredita’ que paga caro pelo uso da sua marca”

Jonas Bechelli, presidente da Doctor Feet

Entrevista - Doctor Feet - Jonas Bechelli

A Doctor Feet tem planos para 2019 de criar a assinatura de cuidado com os pés, além de já estudar tratamento diferenciado para as mãos também.
Entrevista - Doctor Feet - Jonas Bechelli

Credito: Divulgação/ Markable

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pin It on Pinterest

Share This