O novo normal da comunicação

Comentários (0) Destaque Home, Gene Talks, Opinião

por Kamilla Barboza Lopes
_

Esse “novo normal” tem feito áreas e empresas inteiras saírem da zona de conforto. Transformou as comunicações e colocou o indivíduo no centro das discussões. Você também vê assim?

Estamos construindo relacionamentos e lembranças que, certamente, não seriam vividas no “antigo normal”. Sim, mas tem a dor, tem o medo e a montanha russa de sentimentos que se vive em uma pandemia. Tem, claro. Mas também tem muito aprendizado. A tal história do copo meio cheio, lembra? Então…

O trabalho remoto se tornou realidade para boa parte dos profissionais e trouxe seus desafios, mas também mostrou o engajamento das equipes e a criatividade para fazer acontecer, mesmo quando o “fazer” não tem a mínima ideia de quando vai “acontecer”. O fato é que o trabalho está saindo mesmo com cada um no seu canto. E veio o questionamento: precisamos mesmo daquela rotina de escritório? Fica a reflexão.

As áreas de Comunicação estão trabalhando o dobro (diria o triplo) nessa pandemia. O “novo normal” é o longe mais perto que podemos ter. Comemorações de aniversário digitais, um café com amigos à distância, música para começar o dia… Estamos nos reinventando, pessoal e profissionalmente, entendendo que se importar é o que importa.

Grandes eventos, grandes estruturas, ou o melhor buffet para um encontro com a diretoria deram lugar a ações virtuais, muitas delas simples, mas que estão proporcionando momentos que não aconteceriam em nosso “antigo normal”. Um café da manhã com música no meio do escritório? Sem atrapalhar as outras áreas? Com todos juntos no mesmo horário? Com o trânsito que existe em São Paulo? Impossível, né? Agora não mais.

Os comunicadores tiveram que abusar da criatividade para manter as rotinas e ainda reinventar as formas de relacionamento entre empresa e empregado. As áreas de comunicação ganharam destaque e um estratégico espaço de fala. “Ah, mas a área de comunicação sempre foi importante”.

Bom… (cof, cof, cof!) É na crise que as empresas entendem que comunicação é muito mais do que fazer jornal interno e revisar texto – sem desmerecer, claro, mas comunicação é inteligência, relacionamento, estratégia e negócio. É um senso de dono aflorado, com olhar crítico e cuidadoso.

O novo normal mostra o valor do capital humano, da comunicação empática e assertiva, e escancara a urgência da humanização nas relações empresariais. Que ele venha… E fique!
_

Kamilla Barboza Lopes é especialista em Gestão de Crise e há onze anos atua no mercado de Comunicação Corporativa, Marketing e Assessoria de Imprensa, com vasta experiência no ambiente industrial/fabril. Atualmente, lidera a área de Comunicação e Marketing da Reservas Votorantim e é gestora de ativos ambientais da Votorantim S.A, sendo responsável pela gestão institucional de marca e estratégia de produtos do Legado das Águas(SP), a maior reserva privada de Mata Atlântica do país; e do Legado Verdes do Cerrado(GO), maior área privada conservada do bioma no país.

Foto de cottonbro no Pexels

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pin It on Pinterest

Share This