Mitos e verdades sobre o Open Delivery

Comentários (0) Startups, Tecnologia

Priscila Fecchio, CMO da Bdoo – primeira startup de tecnologia a conectar serviços logísticos ao Open Delivery – explica o que é verdade e o que é mito sobre a novidade que promete união entre aplicativos, restaurantes e entregadores

São Paulo, abril de 2022 – O delivery está presente em nossas vidas há vários anos, mas, após o início da pandemia da Covid-19, em 2020, a entrega de comida e outros itens de consumo a domicílio ganhou força total. Isso porque, com as dificuldades impostas pela crise sanitária e o isolamento social, a grande maioria dos  restaurantes e demais estabelecimentos precisou rever estratégias, e uma das mudanças foi a adesão ao delivery.

De acordo com pesquisa recente realizada pela agência Edelman em parceria com a PayPal, os pedidos de refeições pela internet ou por meio de apps saltou durante a pandemia. Quando realizada ao menos uma vez na semana, a prática aumentou de 40,5% para 66,1%. Já os pedidos feitos duas vezes na semana subiram de 14,2% para 22,1%.

A estratégia “salvou” muitos estabelecimentos, mas por outro lado criou outros problemas, “As taxas cobradas por marketplaces passaram a sobrecarregar os empresários, além de falhas com a logística de entrega. Foi aí que a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) iniciou o desenvolvimento do Open Delivery, ferramenta que visa a criação de um ambiente harmonioso entre operadores de delivery e os restaurantes”, comenta Priscila Fecchio, uma das fundadoras da Bdoo – primeira startup de tecnologia a conectar serviços logísticos ao Open Delivery.

Por ser novidade, o Open Delivery ainda gera dúvidas entre consumidores e empresários brasileiros. Pensando nisso, Priscila listou alguns mitos e verdades sobre essa plataforma.

O Open Delivery permite interação entre sistemas do restaurante? Verdade.

Hoje em dia, os restaurantes têm muitos sistemas, e cada um deles tem sua linguagem tecnológica, ou seja, é como se cada sistema falasse um “idioma” diferente. “É justamente aí que o Open Delivery entra, para fazer com que todos os sistemas dialoguem, ou seja, “falem a mesma língua”, proporcionando uma comunicação perfeita entre eles”, explica a executiva. 

Assim, quando um consumidor solicita um pedido em um app de delivery, automaticamente os sistemas internos conversam, desde a hora do pedido até o entregador chegar na casa do consumidor. “A única preocupação do dono do restaurante é preparar um prato gostoso para ser entregue na casa do cliente”, explica Priscila.

O Open Delivery ajuda a padronizar o cardápio? Verdade.

Essa foi a origem do Open Delivery. Quando houve o “boom” dos aplicativos de delivery, cadastrar cardápios se transformou em uma grande “dor de cabeça” para os donos de restaurantes, tanto na hora de cadastrar as opções quanto na hora de atualizar.

“Com o Open Delivery, o restaurante cadastra somente uma vez e pronto, todos os aplicativos poderão ler o cardápio a partir de uma única fonte, que é definida pelo dono do restaurante”, comenta Priscila.

O Open Delivery vai acabar com o iFood? Mito.

Priscila explica que no Open Delivery há espaço para todos, e que o iFood continuará sendo uma excelente vitrine para os restaurantes. “A plataforma irá ajudar no crescimento do segmento, pois incentivará que mais restaurantes estejam digitalizados para atender seus próprios consumidores.  Os restaurantes devem e podem continuar vendendo pelo iFood”, esclarece a executiva da Bdoo.

Conectar meu restaurante ao Open Delivery custa caro? Mito.

De acordo com Priscila, a livre concorrência entre os fornecedores já cadastrados promoverá taxas e valores justos. “O Open Delivery já possui diversos fornecedores prontos para inserir um restaurante no sistema. Dessa forma, a livre concorrência entre esses fornecedores possibilitará custos bem menores do que os que provavelmente o restaurante paga hoje”, avalia.

 O Open Delivery garantirá entregadores para realizar os pedidos? Verdade.

Com o Open Delivery, o pedido não ficará parado no balcão. Enquanto o restaurante prepara o pedido, os sistemas do restaurante automaticamente chamarão o entregador mais próximo para realizar aquela entrega.

“Isso irá otimizar o processo e garantir agilidade na entrega, aprimorando a experiência do consumidor e deixando-o satisfeito com a compra via delivery”, explica Priscila.

Precisarei mudar os sistemas do restaurante para estar no Open Delivery? Mito.

O Open Delivery disponibiliza gratuitamente todos os protocolos para que os sistemas do restaurante estejam aptos a se conectar. O dono do restaurante solicita aos fornecedores atuais uma pequena adaptação no sistema, e pronto.

“O restaurante estará conectado a um universo de aplicativos e fornecedores logísticos que contribuirão na produtividade com menores custos”, esclarece a fundadora da Bdoo.

O Open Delivery baixará os custos de delivery do restaurante? Verdade.

O Open Delivery visa aumentar as possibilidades para os restaurantes, que não precisarão ser reféns de algumas poucas plataformas de delivery. “No Brasil, existem centenas de fornecedores de serviços de entrega, e o Open Delivery possibilitará que todos estejam conectados, proporcionando ao dono do restaurante mais alternativas de fornecedores e menores taxas. Todos ganham.”, ressalta Priscila.

O Open Delivery é uma iniciativa pública? Mito.

A executiva comenta que o Open Delivery é uma iniciativa da Abrasel, associação que visa defender os interesses dos seus associados. “O Open Delivery foi criado justamente para melhorar a vida, a produtividade e a eficiência dos donos dos restaurantes”, esclarece ela.

O Open Delivery não garante que o pedido chegue de forma íntegra ao cliente? Mito.

“Muito pelo contrário”, garante Priscila. “Com o Open Delivery, o empresário terá mais opções, inclusive podendo favoritar entregadores ou alterar os seus fornecedores de entregas, para que cumpram os requisitos estabelecidos. O consumidor precisa receber o pedido como se estivesse dentro do  restaurante, e é para isso que temos o Open Delivery”.

O Open Delivery vai melhorar a vida dos entregadores? Verdade.

Sim, o Open Delivery irá beneficiar os entregadores, já que ampliará a oferta de entregas. “Com mais restaurantes digitalizados, maior será a necessidade de entregar pedidos. Dessa forma, os entregadores não trabalharão para poucas plataformas, mas sim para um alto volume de restaurantes, independentemente de onde o consumidor tenha feito o pedido. Isso ajuda a melhorar as possibilidades de ganhos dos entregadores”, finaliza a executiva.

Sobre a Bdoo – Fundada em 2021 por Denis Lopardo, Priscila Fecchio e Everson Assunção a Bdoo (leia-se Bidu) é a primeira plataforma independente, 100% transacional, a conectar marketplaces, varejistas, restaurantes, entregadores e fornecedores de veículos e serviços em todo o Brasil. A Bdoo conecta quem tem algo a entregar para quem quer trabalhar com entregas. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pin It on Pinterest

Share This