Futurecom Digital Summit aborda o uso combinado de Inteligência Artificial e IoT

Comentários (0) Eventos, Giro PME

Até o momento foram 7 horas de conteúdo e 26 palestrantes para um público de mais de 2 mil pessoas
_

A integração de tecnologias aumenta a agilidade dos processos e, consequentemente, da produtividade. Nesse sentido existe um grande potencial de uso de soluções combinadas para solucionar problemas do dia a dia e trazer resultados para o negócio. Quando se fala de Inteligência Artificial e IoT trabalhando juntas, é possível gerir toda a cadeia produtiva de maneira automatizada, com mais eficiência, segurança e redução de custos. A decisão final será humana, mas a tecnologia pode atuar de maneira preditiva e auxiliar na tomada de decisão. 

Essa foi a tônica do painel “Oportunidades na Transformação dos Negócios com Uso Combinado de Inteligência Artificial e IoT (AIoT)”, promovido pelo Futurecom Digital Summit, evento que antecipa discussões que irão permear a 22ª edição do Futurecom, principal evento de tecnologia, telecomunicações e transformação digital da América Latina, que ocorrerá de 27 a 29 de outubro, no São Paulo Expo, em São Paulo. Em apenas dois dias, o evento virtual reuniu uma audiência de 2000 pessoas e 26 palestrantes, totalizando sete horas de conteúdo. 

O painel contou com a participação de Marcello Borges, CIO do Grupo Queiroz Galvão; Helder Canelas, Head of Service BU da ThyssenKrupp para América Latina; João Emílio Rocheto, presidente da Bem Brasil e Marcelo Pinto, diretor da WEG, com a moderação de Paulo José Spacca, presidente da Associação Brasileira de Internet das Coisas (ABINC).

Segundo Marcello Borges, o potencial da Indústria 4.0 é ilimitado. Com ganho de escala, as tecnologias se tornam mais baratas, trazem mais informações e geram produtividade. “A pandemia fez com as lideranças olhassem para a TI como forma de se tornarem mais produtivas enquanto empresa e País”, destaca o executivo.

Marcelo Pinto, diretor da WEG, compartilha da mesma opinião e explica que o uso combinado de IA e IoT permite fazer, além da predição de quebra de equipamentos, por exemplo, uma inspeção de qualidade em toda a cadeia. “O ideal é criar condições para que essas tecnologias não sejam acessíveis apenas às grandes empresas. Caminhamos para a ‘uberização’ das indústrias, em que se valoriza o trabalho compartilhado”, disse. 

A WEG anunciou esta semana a compra da Mvisia, uma startup especializada em Inteligência Artificial e visão computacional para a indústria. A aquisição faz parte da estratégia da companhia de incluir novos recursos à WEG Digital Solutions e à plataforma IoT WEGnology, lançada com o objetivo de atender as demandas da Indústria 4.0. Essa é terceira aquisição anunciada desde que a empresa criou a nova estrutura de negócios digitais para acelerar o desenvolvimento de tecnologias para a Indústria 4.0. 

Helder Canelas, da ThyssenKrupp, ressaltou a utilização de aplicativos para que os clientes de quaisquer produtos da empresa possam fazer a gestão remota dos equipamentos. Segundo ele, a utilização de novas tecnologias, como IA e IoT, podem contribuir na retenção dos clientes e ampliar o Net Promoter Score, ou NPS, ao promover um atendimento diferenciado. 

Para João Emilio Rocheto, presidente da Bem Brasil, empresa que produz batata pré-frita congelada e ocupa a liderança do varejo nacional neste segmento, a companhia está numa fase intermediária da implementação da Indústria 4.0. A ideia é que os equipamentos conversem cada vez mais entre si, utilizando a inteligência para otimizar processos e entregar mais produtividade. 
_

“Com tudo conectado, teremos o problema com a segurança da informação. É preciso ter uma lei mais rígida em relação aos ataques cibernéticos”

Marcello Borges, CIO do Grupo Queiroz Galvão

De acordo com os executivos, as indústrias podem ter problemas diferentes, mas os desafios são os mesmos: integrar as tecnologias de IA e IoT com segurança para melhorar a experiência do cliente/usuário. 

O Futurecom Digital Summit seguirá até o dia 2 de julho. Organizado pela Informa Markets, o Digital Summit leva para seus debates a mesma qualidade dos conteúdos do encontro físico do Futurecom. São duas sessões diárias com acesso totalmente gratuito e veiculadas pelo site do Futurecom. 

Para conferir as próximas discussões > clique aqui
_

Sobre o Futurecom
O Futurecom, o maior e mais importante evento de tecnologia, telecomunicação e transformação digital da América Latina, chega à 22ª edição, que acontece de 27 a 29 de outubro, no São Paulo Expo. Lançado em 1998, na cidade de Foz do Iguaçu, o Futurecom foi transferido para Florianópolis posteriormente, onde ocorreu entre 2001 e 2007. A partir de sua décima edição, passou a ser realizado em São Paulo, com duas edições no Rio de Janeiro em 2012 e 2013. A realização da Futurecom seguirá as normas e regras estabelecidas pelas instituições estaduais e municipais. 

Sobre a Informa Markets 
A Informa Markets cria plataformas para indústrias e mercados especializados para fazer negócios, inovar e crescer. Nosso portfólio global é composto por mais de 550 eventos e marcas internacionais, sendo mais de 30 no Brasil, em mercados como Saúde e Nutrição, Infraestrutura, Construção, Alimentos e Bebidas, Agronegócio, Tecnologia e Telecom, Metal Mecânico, entre outros. Oferecemos aos clientes e parceiros em todo o mundo oportunidades de networking, viver experiências e fazer negócios por meio de feiras e eventos presenciais, conteúdo digital especializado e soluções de inteligência de mercado, construindo uma jornada de relacionamento e negócios entre empresas e mercados 365 dias por ano.

Com informações de Luciana Abritta, DFreire.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pin It on Pinterest

Share This