Empreendedorismo pós-pandemia: 6 dicas para alinhar propósitos e negócios

Comentários (0) Destaque Home, Empreendedores

A crise do novo coronavírus afetou a forma como as pessoas têm encarado as dificuldades, e ao mesmo tempo reacendeu temas como propósito e sentido de vida, o que para muitos significa empreender. Além disso, a palavra empreendedorismo traz consigo o medo do descontrole e do desconhecido, e para esclarecer alguns pontos importantes, a especialista em estratégia de carreira, Rebeca Toyama, preparou 6 dicas para mostrar que com propósito, estratégia e metodologia pode ser mais fácil encarar o desafio.  

De acordo com dados do Portal do Empreendedor, do Governo Federal, o número de microempreendedores individuais (MEIs) no país cresceu 10,2% no primeiro semestre de 2020, chegando a mais de 10 milhões de registros. Entre os indicadores que explicam o crescimento, estão o aumento do desemprego e mudanças nas relações de trabalho, além das vantagens que a formalização garante.

Para a especialista, a crise vem trazer uma visão ampla das contradições e conflitos que os profissionais mantinham encobertos e até negavam, como a forma que se conduzia a vida profissional, mas com a chegada da pandemia fez com que as pessoas se relembrassem da responsabilidade com o seu destino, propósito e sentido de vida. Com isso, muitos profissionais se veem na necessidade de ter um negócio próprio, e por muitas vezes, procuram soluções rápidas com atitudes impulsivas e os resultados não surgem como esperado, assim vem a paralisação e medo de continuar no projeto.

“Por diversas vezes começamos a empreender em diferentes áreas de diversas formas, sem refletir, planejar ou conversar com alguém que já tenha experiência nesse percurso. E no ritmo da urgência, tendemos a negligenciar o tempo necessário para identificar o que realmente queremos e encontrar caminhos que nos levem onde realmente queremos chegar. ”, explica Rebeca Toyama, especialista em estratégia de carreira.

Diante do distanciamento social, as pessoas têm se sentido inaptas para tudo que for decidir e até mesmo para refletir sobre o futuro, mas é necessário buscar entender o que realmente se quer para assim encontrar um propósito e o transformar em um negócio. “Neste momento, a primeira coisa a se fazer é respirar e buscar se reconectar consigo mesmo, assim as escolhas serão feitas de forma consciente e a partir de quem realmente somos e nos levem onde verdadeiramente queremos chegar. ”, comenta a Rebeca.

Junto da busca pelo caminho a seguir, muitos empreendedores costumam se queixar sobre a solidão ao empreender, mas de acordo com a especialista, é uma ilusão acreditar que sozinho se produzirá um projeto imbatível, sem mesmo ter buscado referências de pessoas mais experientes na área.

“Buscar pessoas mais experientes nas áreas de atuação pretendida, aprender com profissionais que já superaram desafios, como o que você está enfrentando, ou criar redes colaborativas, além de acelerar o crescimento do negócio, afastará o sentimento de solidão que habita na vida de muitos empreendedores. ”, ressalta, Toyama.

Mas para que esse cenário seja positivo, é necessário entender que existem saídas que podem ser o ponto-chave para se ter mais experiência e sucesso ao empreender, como projetos de mentoria para profissionais que desejam ser orientados, estimulados e desenvolvidos nos dois pilares: o profissional e o pessoal. E neste caso, a mentoria é a porta para tirar o projeto do papel e ainda melhorar o networking com empreendedores que estão no mesmo processo.

E é importante se atentar que para um profissional ser chamado de mentor, é primordial que a pessoa tenha apresentado uma jornada de sucesso, e que tenha uma vasta experiência para um determinado negócio. 

“Não existe uma resposta pronta, mas existem formas de encontrá-la. Pesquisar, explorar, fazer perguntas para quem pode nos trazer partes dessa resposta: as empresas que nos inspiram através de seus valores, os concorrentes com seus modelos de negócio, as pessoas com suas expectativas e necessidades e os mentores com sua experiência e sabedoria.”, finaliza Rebeca Toyama.

A especialista em estratégia de carreira preparou um passo a passo com 6 dicas que levam estratégia e metodologia para aplicar em seu projeto e ter sucesso ao empreender.

1- Trabalhe o autoconhecimento para aprender a focar a mente e o coração em uma única direção.

  • Sabemos que neste momento muitas emoções estão à flor da pele e para agirmos com sabedoria, é necessário não perder a conexão com seu propósito;

2- Identifique 3 negócios que te inspire, independentemente se estão na sua área de interesse.

  • Extraia de cada um deles o máximo de aprendizados divididos em: o que devo fazer e o que não devo fazer; 

3- Encontre 2 pessoas que possuam experiência positiva em sua área de interesse.

  • Extraia de cada um deles o máximo de aprendizados divididos em: o que funciona e o que não funciona; 

4- Transforme os aprendizados em ação.

  • Depois dessas experiências acima você estará mais preparado para começar a colocar suas ideias no papel ou aprimorar seu projeto;

5- Agora vem uma parte importante: apresente seu projeto para 3 pessoas e peça a opinião delas.

  • Cuide para que essas pessoas sejam diferentes para que você receba diferentes opiniões;

6- Aprimore seu projeto e desenvolva a oferta do produto e serviço, monte uma boa apresentação.

  • Agora chegou a hora de apresentá-lo para 3 possíveis clientes, isto é, pessoas que possuam as características de quem você gostaria de atender.
Rebeca Toyama é fundadora da RTDHO e ACI empresa com foco em bem-estar e educação corporativa. Especialista em estratégia de carreira e saúde financeira. Possui formações em administração, psicologia, marketing e tecnologia.  Atua há 20 anos como coach, mentora, palestrante, empreendedora e professora. Colaboradora do livro Tratado de psicologia transpessoal: perspectivas atuais em psicologia: Volume 2; Coaching Aceleração de Resultados e Coaching para Executivos. Integra o corpo docente da pós-graduação da ALUBRAT (Associação Luso-Brasileira de Transpessoal), Instituto Filantropia e Universidade Fenabrave.
_

Com informações de Thalita Sollazzo, da cQuattro.
Foto de capa: cottonbro no Pexels

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pin It on Pinterest

Share This