Após 35 anos de mercado, Cléo Aidar lança seu próprio e-commerce

Comentários (0) Atitude PME, Inspiração

Transformação digital da marca Cléo Aidar começou a ser pensada há mais de dois anos e, agora, com o isolamento social, foi a hora certa para entrar em cena 
_

Para caminhar alinhada com a transformação digital e conseguir estar presente em pontos de vendas que antes não alcançava, a marca de moda feminina Cléo Aidar, lançou este ano o seu tão esperado e-commerce, que passou a ser uma ferramenta fundamental para atrair novas consumidoras sem barreira física.

O que a marca não sabia, no entanto, é que com a crise gerada pelo novo Coronavírus desde março, a ferramenta foi um presente não só para o mercado, como também para a própria marca.  “O lançamento do nosso e-commerce faz parte de um projeto muito estudado que se iniciou no segundo semestre de 2017 quando começamos a traçar nosso plano de expansão do varejo. O primeiro passo foi realizar um trabalho de branding e pesquisa para orientação de mercado. Um dos principais resultados foi a necessidade de estarmos mais presente na cabeça das pessoas e com mais pontos de venda”, mostra o diretor administrativo da marca, Alexandre Aidar.

A partir desse trabalho eles desenharam uma estratégia que compreendia em 5 anos abrir 4 lojas, sendo 3 lojas físicas e o e-commerce. Em 2019 eles inauguraram a loja física no Itaim Bibi e em maio de 2020 o site. Com uma plataforma de compra 100% segura, a ferramenta mantém o mesmo atendimento de excelência que os clientes recebem pessoalmente nas lojas físicas. “Respostas para dúvidas e a entrega dos produtos comprados são atendidas mais rapidamente do que em marketplaces convencionais, já que são efetuadas na sede da marca, mesmo local onde encontra-se a fábrica, expedição, showroom e loja, garantindo qualidade e agilidade”, afirma o diretor.
_

Além do consumidor final, o site conta com um espaço para o lojista e a ideia primordial é alavancar suas vendas, levando em conta que seus grandes parceiros são as multimarcas.

Empresária e diretora criativa da marca que leva seu nome, Cléo Aidar sempre viveu e respirou moda desde a época que desfilava como modelo para Haute Couture e Pré-a-Porter, até a criação da sua marca, consolidada no mercado de moda nacional feminina há 35 anos. Cléo construiu a empresa baseada em princípios e valores que respeitam a cadeia de produção sustentável, com uma operação própria, mão de obra justa, e investindo em materiais e acabamentos de qualidade, para mulheres modernas que buscam por peças atemporais e autorais.

Alexandre diz que o próximo passo agora é firmar parcerias com influenciadoras e consultoras de moda que tenham afinidade com o estilo da marca, convidando-as para fazerem curadorias da coleção, cápsulas com o olhar de cada uma. “A ideia é abrir oportunidades para novos olhares dentro de nossa coleção e contar com a força de divulgação que elas têm”, pontua. 

O faturamento da empresa é composto por vendas de atacado, para cerca de 350 lojistas multimarcas de todo o Brasil e o varejo, composto agora pela loja física no Itaim Bibi em São Paulo e o e-commerce. O atacado atualmente responde por 85% do faturamento da Cléo Aidar e em 2023, eles esperam que o varejo seja responsável por 50% das vendas. “Antes da chegada da Pandemia, esperávamos um crescimento geral do grupo (atacado + varejo) por volta de 12,5% no ano de 2020. Com a crise de saúde e econômica do País, nosso mercado foi muito afetado, principalmente nossos principais clientes, as lojas multimarcas. O nosso varejo está crescendo 19,6% mesmo com o isolamento social, mas a expectativa é de uma queda no faturamento geral de 9%”, espera o diretor.

Para ele, a hora é de austeridade nos custos e despesas, e de muita atenção às oportunidades. “Vamos diminuir nossa coleção e entender como se comporta o mercado, mas acredito que quando a vida voltar ao normal, quem estiver bem posicionado terá grande vantagem competitiva”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pin It on Pinterest

Share This