A corrida de rua e os novos caminhos do live marketing

Comentários desativados em A corrida de rua e os novos caminhos do live marketing Inspiração, Tendência

A Franchising Live Run traz um novo formato para as corridas esportivas de rua, com cada participante correndo separadamente, mas ao mesmo tempo, e todos unidos pela tecnologia 

A segunda edição da F.Run, corrida de rua corporativa que envolve o setor de franquias e varejo brasileiro, chega trazendo inovações. Com as restrições de aglomerações causadas pela pandemia do novo coronavírus, a MD Live Play, agência de live marketing do Grupo MD e organizadora da F.Run, lançou uma versão virtual da corrida este ano. 

As corridas de rua e todos os demais eventos presenciais, que envolvem aglomerações de pessoas, estão suspensos por tempo indeterminado em uma ação coletiva para combater a disseminação do novo coronavírus. Nesse cenário, as agências de live marketing estão reinventando o setor. 

A MD Live Play encarou o desafio de manter a corrida de rua que organiza desde 2019, mas agora em um novo formato. “Muito se fala que os eventos dependem do contato humano para existir, mas nós não achamos essa crença verdadeira”, comenta Fabiana Trevisan, sócia da MD Live Play. “O avanço tecnológico permite novas formas de se conectar com o público, ampliando o repertório sensorial e audiovisual de formas que antes não eram possíveis. É por acreditar nisso que idealizamos e estamos lançando a versão live de nossa corrida de rua.” 

Rebatizada este ano para Franchising Live Run, a prova vai acontecer no dia 24 de maio com largada às 8h da manhã. As inscrições já podem ser feitas no site frun.com.br
_

_
O grande diferencial da corrida deste ano é que os participantes, ao invés de correrem todos juntos no mesmo trajeto, como acontece nas corridas de rua tradicionais, vão correr cada um em seu espaço, seja a esteira ergométrica, a sala de casa, a varanda ou as ruas do bairro, seguindo as recomendação de isolamento social dos órgãos de saúde. Quem sair na rua para correr deve seguir as recomendação de seu município, respeitando a distância mínima de outras pessoas e o uso de máscaras. A segurança de todos é prioridade. Vale lembrar que a prática de atividade física ao ar livre no Brasil não está proibida, desde que as regras de isolamento social sejam respeitadas.
_

“É um projeto que segue no seu propósito: incentivar a prática de esportes, fomentar uma rede de conexão entre empresas franqueadoras, franqueados e pessoas apaixonadas por corrida e solidariedade. Acreditamos que esse formato de corrida veio para ficar e estamos muito empolgados com esta edição.” 

Fabiana Trevisan, sócia da MD Live Play

_
“Queremos que as pessoas se sintam também motivadas a praticar atividade física, seja dentro de casa, na esteira, no condomínio. O local é onde o atleta se sentir mais seguro”, afirma Denis Santini, idealizador da F.Run e sócio da MD, agência de comunicação especializada em varejo e franquias.

Maratonista, antes de formatar o novo modelo da F.Run, Santini fez um teste para ver se era possível correr dentro de casa. “Consegui montar um circuito sala/varanda em casa com 18 metros e dei mais de 280 voltas, totalizando 5 quilômetros dentro do meu apartamento. É possível. Temos até o exemplo do francês que correu uma maratona, 42 quilômetros, na varanda do apartamento”, comenta Santini. “O horário da largada da prova, domingo cedo, foi pensado para que os corredores possam sair às ruas em um horário que elas ainda estão vazias, caso façam essa opção.” 

Além de ser um estímulo à prática de atividade física, que comprovadamente fortalece o sistema imunológico e melhora a condição geral de saúde física e mental, a F.Run traz um componente de solidariedade importante. Parte do valor arrecadado com as vendas dos kits, excluindo o custo com impostos, produção e envio, será destinado a cinco organizações não governamentais que apoiam o esporte e estão precisando de ajuda neste momento. O dinheiro arrecadado será convertido em cestas básicas para as seguintes ONGs: Vida Corrida, Mosqueteiros, Pernas de Aluguel, Anjos do Esporte e Projeto Cidadãos do Futebol. “É uma forma de fazer o bem para a própria saúde e para quem mais precisa neste momento de pandemia”, comenta Santini. 

Com informações de Ana Carolina Liberman, Grupo MD.

Área de comentários fechada.

Pin It on Pinterest

Share This