7 motivos para NÃO contratar uma assessoria de imprensa

Comentários (0) Comunicação, Monique Fernandes, Startups

 S T A R T U P S  | Por Monique Fernandes

É isso mesmo que você leu: vou te dar sete motivos pelos quais você NÃO deve contratar uma assessoria de imprensa. Enquanto a regra do jornalismo diz que títulos negativos devem ser abandonados, eu venho quebrando essa regra, pois, digo, sem medo de estar sendo leviana que, boa parte dos clientes de assessoria de imprensa não sabem o porque contrataram o serviço e que não fazem a menor questão de saber como o mesmo funciona. Em 7 anos gerenciando uma assessoria de imprensa, vi diversas motivações para justificar a contratação de uma empresa de assessoria de imprensa e, posso afirmar, a maioria delas não deveria existir. E vou listar as sete mais corriqueiras aqui:

1. Não sei como funciona, mas disseram que eu preciso:

É muito comum que a maior parte dos clientes que fazem parte do portfólio de uma empresa de PR venha por indicação de alguém que já experimentou o serviço. Por isso, é comum o prospect chegar dizendo a seguinte frase: “Fulano disse que eu preciso contratar vocês. Disse que eu preciso, urgente, de uma assessoria de imprensa!” Muitas vezes, nessa conversa, a gente descobre que a pessoa veio pela confiança de quem indicou, mas não sabe nem o que é uma assessoria de imprensa e muito menos, para quê serve. Inúmeras vezes, eu tive que explicar o básico de uma assessoria para um possível cliente que chegou até a minha empresa indicado. Nunca me importei em explicar processos, pois faz parte do alinhamento de expectativas tirar dúvidas sobre a nossa forma de trabalhar. Porém, deveríamos partir do princípio que, o cliente sabe para qual objetivo está contratando uma assessoria de imprensa. Se não sabe, melhor buscar saber como funciona e checar se tem a ver com aquele momento da sua empresa antes de sair fechando contratos por aí. Se não tiver, não contrate e faça um melhor uso dessa verba.

2. Quero publicações imediatas:

Eu sempre disse em uma reunião inicial, quando a Tagarela e o prospect ainda estavam se conhecendo, a seguinte frase: “assessoria de imprensa é trabalho de médio e longo prazo. É investimento em branding e isso demanda tempo!” Sempre reforço que bons resultados começam a surgir com seis meses de trabalho. Porém, em geral, qualquer empresa séria de PR, precisa de, no mínimo, três meses de trabalho para entregar algum resultado ao cliente. O ideal é que seja um trabalho constante e que a empresa tenha verba para nunca parar de fazer o trabalho e sempre estar presente na cabeça dos possíveis clientes.

Explico também que precisamos apresentar o cliente -se ainda for desconhecido-, para a imprensa e que isso ainda leva tempo. Informo que, talvez, isso necessite de alguns almoços e cafés com jornalistas antes de sair alguma matéria. Isso tudo parece muito bem entendido no início do trabalho, mas a ansiedade por resultados faz o cliente no segundo mês querer cancelar o contrato, com a justificativa de “que esperava mais do serviço.” Infelizmente, não temos o controle da mídia, de quando uma matéria será publicada e SE​ será. Fazemos o nosso melhor para que isso aconteça. Se você não entende que o assessor está jogando no mesmo time que você, pensa que ele está jogando contra, se o vê como alguém que está te enganando para pegar o seu dinheiro, é melhor nem procurar uma assessoria de imprensa.

3. Preciso aumentar minhas vendas:

É muito comum recebermos clientes querendo aumentar vendas, downloads e afins. Uma vez escutei de cliente que a assessoria tinha a meta de trazer 2 mil downloads novos por mês. Eu ri! Juro! Esse é o típico caso em que o cliente trata a assessoria de imprensa como uma força comercial e não como de fato tem que ser: ferramenta de construção de branding. Marketing e Comunicação são importantíssimos para tornar o trabalho do time de vendas mais fácil, portanto, um não substitui o outro. São atividades extremamente complementares. 

Lembrando PR e Marketing constroem branding e um bom posicionamento ajuda a vender mais. Um posicionamento ruim, ou inexistente, dá mais trabalho para os vendedores conseguirem atingir suas metas, mas nunca irá substituir a equipe comercial!

4. Não ter um planejamento:

Sabe quando alguém compra o celular mais moderno e só usa WhatsApp nele? O mesmo acontece quando você contrata uma assessoria de imprensa sem um planejamento. Uma grande ferramenta de marketing que é desperdiçada e que poderia ser um ótimo auxiliar se existisse um planejamento de: qual público quer atingir? Qual posicionamento? Com qual veículo que meu público consome? Qual mídia devo abordar? Sem esse planejamento básico, a assessoria vira um barco à deriva em alto mar.

5. Quero garantia de resultados:

Esse é o caso de 99,9% dos clientes. Todos pedem garantias de resultados para o assessor; “querem saber quantas publicações terão em um mês, quando será a primeira entrevista etc. E, ficam frustrados quando damos a mesma resposta para todas essas perguntas: “não temos como afirmar ou garantir nada!” É frustrante ouvir isso do assessor, mas, como disse acima, não temos como garantir publicações. 

Como empreendedora, entendo perfeitamente que qualquer real que sai do caixa da empresa precisa de uma justificativa e um retorno plausível. Porém, assessoria de imprensa trabalha com busca de espaço na mídia para o cliente, e isso envolve negociação e convencimento de um repórter/editor da importância daquela fonte para o veículo dele. 

Tem vezes que o cliente fica um mês inteiro sem aparecer na mídia, mas no mês seguinte, surgem várias matérias publicadas. E não foi do nada. Neste período sem clipping, o assessor estava trabalhando: cavando as pautas e os resultados vieram no mês seguinte. 

Vale reforçar que é uma tarefa que requer tempo e paciência. Não tem como usar os mesmos indicadores que se usa para outras áreas da empresa. Eu já vi empresas, no mercado, utilizarem os KPIs da equipe comercial para avaliar o resultado de assessoria de imprensa. Isso é errado, pois são funções completamente diferentes, embora, uma apoie a outra. 

6. Não tenho conteúdo e/ou como alimentar assessoria de imprensa:

Assessoria de imprensa precisa ser nutrida de novidades. O assessor precisa de conteúdoconstante para entregar para a imprensa: pesquisa, lançamentos, fusões, aquisições e investimentos são exemplos de assuntos que podemos alimentar a imprensa na busca por pautas. Porém, se não existem novidades, não tem como o assessor fazer milagres. Informações velhas, já deixaram de ser notícias e não será possível manter o cliente na mídia por muito tempo sem novidades. Tem empresas que tem muito conteúdo, mas não tem quem faça a ponte com a assessoria de imprensa. Se você pensa em contratar uma assessoria, veja em que momento você vai conseguir atender as demandas da sua agência de PR. Verifique se é possível colocar uma pessoa para ser esse elo entre a empresa e a assessoria. Você precisa arrumar a casa para contratar uma assessoria de imprensa. Ela não vai fazer milagres para você!

7. Alimentar o ego do CEO:

Esse é o mais difícil de ser admitido e já falei sobre ele aqui,​ mas tem muitas pessoas que não estão pensando no negócio ao contratar uma assessoria de imprensa. Muitos clientes chegam já pedindo um veículo que não tem nada a ver com o business​ dele, ou até mesmo pedindo uma capa. Já vi, inúmeras vezes (tanto no papel de funcionária, como no de gestora de uma assessoria de imprensa), clientes falarem: “Porque fulano está na capa e eu não? Porque fulano saiu nessa matéria e eu não?” Já vi cliente dizer que queria sentar no sofá do Jô para provar para a avó que era melhor do que o primo. Isso é sério! Essa pessoa precisa de terapia e não de uma agência de PR. Se você está pensando em contratar uma assessoria de imprensa para sair na capa da publicação X, ou com o objetivo de dar entrevista para o veículo Y, ao invés de usá-la estrategicamente para fazer a sua empresa crescer, é melhor repensar e, quem sabe, não contratar!​

Espero ter clareado alguns pontos nebulosos na relação Cliente versus​ Assessoria. Se você está pensando em contratar uma assessoria, reveja esses ítens e avalie bem se você não se enquadra em alguns deles. Se já contratou e tem algum desses comportamentos, converse com o seu assessor, tire as dúvidas, esclareça pontos para ter uma relação saudável. E lembre-se, sempre, assessoria é um trabalho de longo prazo. O seu assessor joga no seu time, nunca contra você! Não é cobrando e colocando pressão diária no seu atendimento que uma matéria vai ser publicada, ou que o volume de clippings vai aumentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pin It on Pinterest

Share This